Será possível solicitar ou renovar Certificado Digital e-CNPJ, através de vídeo-conferencia, caso o representante do CNPJ, tenha emitido algum Certificado Digital, onde ele foi indicado como representante legal, a partir de Março de 2018.

Será possível consultar se pode ser feito a emissão através de vídeo conferencia no link https://bit.ly/2JpUIuY informando o numero de seu CPF.

Caso seja possível a emissão por vídeo conferencia, você deverá seguir os seguintes passos:

1 – Solicitar seu certificado através do link https://bit.ly/2WRuLfC

Ao termino, do pedido, você receberá um numero de pedido, o mesmo será utilizado no próximo passo.

2 – Após o pagamento do Boleto, você deverá acessar o link https://bit.ly/2WTpio

Preencha o numero de pedido, e clique em Iniciar Solicitação.

a. Preencha seus dados, inclusive, o numero de seu Celular valido, pois ele será utilizado no processo de vídeo-chamada.

b. Em seguida, deverá cadastrar a senha de emissão do certificado. Anote em um lugar seguro, pois sem a mesma , não será possível emitir o certificado, e todo o processo será perdido.

c. No próximo passo, será solicitado criar uma senha de revogação. Ela será necessária, caso você precise cancelar o seu certificado por qualquer motivo.

Todo esse processo poderá ser feito acompanhado de nosso suporte técnico disponível em (48) 99152-5100 e (48)99169-5241 via WhatsApp.

No próximo passo, você deverá informar data e hora para agendamento do atendimento de vídeo chamada.

Em seguida, receberá um e-mail solicitando que envie os documentos pertinentes a solicitação para o e-mail videochamada@ilhadigitalsc.com.br;

Após receber o e-mail de confirmação ou aceite que todos os documentos para emissão estão de acordo, poderá ser de fato, criada a vídeo-conferencia.

Você receberá um e-mail de confirmação com a data e hora do agendamento para vídeo conferencia.

É importante, que no momento da vídeo-conferencia, você tenha acesso a internet, uma câmera e microfone para o atendimento por vídeo.

Também, será necessário que o solicitante do certificado, esteja sozinho no processo de vídeo chamada, não sendo permitido, terceiros participando do processo.

Conhecido popularmente como e-CNPJ ou e-PJ, o certificado digital pessoa jurídica é vinculado ao representante legal ou procurador de uma empresa, com cadastro ativo na Receita Federal. O seu uso confere autenticidade, confidencialidade, integridade e o não repúdio aos serviços realizados por meio dele na internet.

Contém informações como razão social, CNPJ, nome, RG, CPF e data de nascimento do usuário, além do prazo de validade, que pode ser de 1 a 3 anos. O e-CNPJ já faz parte da rotina de muitas empresas e, em alguns casos, é indispensável para estabelecer a comunicação com os órgãos do Governo. Isso porque a ferramenta promove praticidade, celeridade nos processos, redução de custos com deslocamentos, impressão e papeis. É uma tecnologia aliada à sustentabilidade.

 Onde utilizar o e-CNPJ?

  • Receita Federal: CAGED, DIRF, PERDCOMP, DACON, DBF, DCIDE, DCP, DEREX, DCTF, CRED, DIF, DIMOB, DIMOF, DIPI-TIP, DNF, DSPJ, DTTA, e-CAC, Homolognet, RAIS, SICONFI, SIL, Leilões eletrônicos;
  • SEFAZ: NF-e, NFA-e, NFC-e, NFS-e, CT-e, DF-e;
  • Governo: SISCONSIG;
  • Saúde: DMED, TISS;
  • MEC: PROUNI;
  • Segurança Privada: GESP;
  • Detran: e-CNHsp;
  • Setor Público: ITR, DERC;
  • SPED: ECD, EFD, ECF, eSocial;
  • Caixa Econômica: FGTS, e-APS, Conectividade Social ICP;
  • Zona Franca de Manaus: SUFRAMA;
  • Parcelamento eletrônico online de débitos Pessoas Jurídicas;
  • Retificação do DARF;
  • Provisão de Procuração Eletrônica;
  • Assinatura de e-mails, documentos e contratos digitais da Pessoa Jurídica;
  • Dentre outros serviços.

Tipos de e-CNPJ

Existem dois tipos principais de Certificado Digital e-CNPJ:

  • e-CNPJ A1: gerado e armazenado diretamente em um computador, com validade de 1 ano;
  • e-CNPJ A3: gerado e armazenado diretamente em uma mídia criptográfica (token ou smart card), com validade de 1 a 3 anos.

Atenção: Na hora de escolher o seu e-CNPJ, informe se há alguma restrição para uso do tipo A1 ou A3, na operação na qual pretende utilizá-lo.